segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Amélio Baião: memória do tempo ausente

O senhor Amélio Duarte Baião partiu, há um ano, do nosso convívio. Alpalhoeiro de gema e de afectos, primava pela simpatia, pelo amor à sua terra e pelo trato afável com quem convivia.E foram muitos, os amigos que Amélio conquistou ao longo de uma vida, tanto em Alpalhão como em Évora, onde foi militar de carreira e se mostrava sempre disponível para ajudar a resolver qualquer situação relacionada com a terra em que nasceu.
Evocamo-lo, hoje, aqui, neste recanto do jornal, lembrando a memória de um homem, que estando ausente, soube sempre dizer presente a Alpalhão.
Honra à sua memória!
Mário Mendes in "Alto Alentejo" - 29/8/2012