terça-feira, 24 de janeiro de 2012

CULTURA: António Estaco, pintor alentejano

António Teixeira Estaco, de nome completo, nasceu em Alpalhão, concelho de Nisa, distrito de Portalegre no ano de 1895 e faleceu em Abrantes em 1956.
Distinguiu-se muito cedo pelo seu talento verdadeiramente precoce. Os seus quadros caracterizam-se pelo seu sentimento profundo, aliado á natureza, captando bem a atmosfera alentejana numa interpretação sem artifícios, enquadrando esteticamente as imagens do Alto e Baixo Alentejo.
Fiel aos panoramas figurativos, em toda a obra pictórica reside uma expressão de colorido, incluindo numa nota de sensível lirismo poético, através de uma policromia onde os aspectos criativos apresentam um acervo de perspectivas plásticas.
A sua paixão pelo Alentejo vive com certo fulgor nos temas representados a ele referente.
Alberto de Sousa, pintor aguarelista que a Évora dedicou uma grande parte do seu génio criativo, a António Estaco se refere em certa passagem num artigo de sua autoria.
“António Estaco foi um génio no verdadeiro sentido da palavra. As cores que imprimiu nos seus quadros traduzem uma extraordinária riqueza nas imagens conseguidas, quer pelo efeito da luz, quer pela subtileza do traço manifestado”.
De facto, António Estaco projectou nos seus trabalhos como aguarelista, uma singular beleza nos temas que criou.
Beja, Portalegre, Alpalhão, Vale do Peso, Avis, Monforte, Amieira do Tejo, Elvas, Arronches, Nisa, Castelo de Vide, Évora e outros pontos do Alentejo ele com a sua paleta de arte soube recolher.
Conheço algumas obras de Estaco em reproduções impressas num antigo álbum sobre pintores naturais do Alentejo.
Mário Elias
Nota: Agradeço ao senhor Francisco Dionísio Montes o subsídio para apoiar este artigo. Obrigado

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

ALPALHÃO: Rastreio do Cancro da Mama

PREVENIR É CURAR!
De 18 de Janeiro a 15 de Fevereiro, vai decorrer uma volta de Rastreio do Cancro da Mama das mulheres do concelho de Nisa, promovido pelo Núcleo Regional do Sul da Liga Portuguesa Contra o Cancro em colaboração com a Câmara Municipal de Nisa.
A volta de Rasteio do Cancro da Mama realiza-se em Nisa pela 11ª vez, tendo-se constatado ao longo das anteriores voltas de rastreio uma taxa de participação das mulheres do concelho na ordem dos 64,4 %. O Núcleo Regional do Sul da Liga Portuguesa Contra o Cancro tem experimentado, com sucesso, a deslocalização do Rastreio, com a ida da Unidade Móvel de Rastreio a diversas freguesias, resultando desta deslocalização um aumento considerável da taxa de participação, com benefícios claros para as mulheres.
A Unidade Móvel de Rastreio é dotada de técnicas credenciadas em radiologia, que executam os respetivos exames às mulheres (convidadas, através de carta personalizada, a participar) com idade compreendida entre os 45 e os 69 anos, grupo etário a que se destina o rastreio. Posteriormente, os exames são avaliados por uma equipa de médicos radiologistas, que elaborarão os respetivos relatórios. O exame é rápido, fácil e gratuito.
Nos dias 18 a 25 de Janeiro a Unidade Móvel de Rastreio estará na Extensão do Centro de Saúde em Alpalhão, para rastreio às mulheres de Alpalhão e Tolosa. A partir de 27 de janeiro a unidade móvel localizar-se-á no Centro de Saúde de Nisa para as mulheres das restantes freguesias.
A Câmara Municipal de Nisa faculta o transporte das utentes desde as freguesias onde residem até ao local do rastreio.
O Programa de Rastreio do Cancro da Mama, promovido pela Liga Portuguesa Contra o Cancro, está integrado no Plano Oncológico Nacional e no Programa Europeu Contra o Cancro, tendo como objetivos a deteção do cancro da mama num estádio o mais precocemente possível, aumentando, assim, as possibilidades de cura, proporcionando um tratamento menos agressivo, incrementando a sobrevivência (com maior qualidade de vida) e diminuindo a mortalidade desta doença.