quinta-feira, 30 de julho de 2009

Crianças do ATL não esqueceram o Dia dos Avós




No passado domingo (26), celebrou-se o Dia dos Avós. Pelo 3º ano consecutivo as crianças do ATL de Alpalhão organizaram uma festa, onde convidaram toda a população de Alpalhão a assistir.
A festa realizou-se no salão da Sociedade Recreativa Alpalhoense e teve início pelas 21 horas e terminou, passava pouco das 23 h. As crianças representaram um teatro sobre as várias profissões de antigamente: padeiros, costureiras, sapateiros, pastores, lavadeiras, pescadores e até aguadeiras. Através deste teatro alguns avós puderam recordar os seus tempos de juventude. Dançaram também para os avós e cantaram canções que em tempos fizeram parte do festival da canção. No final declamaram quadras e ofereceram uma pequena lembrança aos avós. Como sempre quando chega esta altura há sempre algumas lágrimas, mas faz parte...
Por vezes as pessoas que assistem a este tipo de festas têm pena que este tipo de eventos não seja mais divulgada. Foi uma noite onde se viverem muitas emoções....
Paula Varela

domingo, 26 de julho de 2009

terça-feira, 14 de julho de 2009

ALPALHÃO: Espaços urbanos à espera de intervenção






Visitante assíduo e atento do blog "Vila de Alpalhão" enviou-nos estas fotos, pedindo a intervençãos dos poderes públicos (Junta e Câmara) no sentido de resolverem os problemas que as fotos documentam.
Num local, o pequeno largo à entrada da Rua da Fonte Nova, o lixo é depositado de forma pouco civilizada e o chão serve de "depósito", mais pareccendo uma montureira pública. O pequeno jardim, mesmo ao lado do contentor, carece de uma intervenção urgente, pois mais parece um matagal. O largo, no seu conjunto, precisa de requalificação adequada, mas enquanto tal não acontece, que ao menos haja por parte de quem tem essa obrigação, a indispensável limpeza do espaço.
No jardim público, ali perto, nota-se a preocupação com a limpeza, ainda que permaneçam alguns problemas por resolver. Não corre a água pelos canais construídos para o efeito e que se mantém assim como a própria secura do Verão.
Há que resolver com celeridade estas situações, tanto mais que se aproximam as festas e os vistantes que se deslocam a Alpalhão, gostam de ver a sua terra com um ar alegre e asseado.