quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Reviver o Natal no Presépio de Alpalhão



INICIATIVA DO MTA ATRAÍU CENTENAS DE VISITANTES
Alpalhão reviveu o espírito do Natal de outrora com uma bela iniciativa do MTA - Movimento Teresiano do Apostolado - que presenteou os alpalhanenses e outros visitantes, com a encenação de todo o tempo histórico e o percurso que culminou no nascimento do Menino Jesus.
Denominada "Presépio Vivo", o magnífico trabalho a que meteram mãos os jovens do MTA, foi muito mais do que a reconstituição do presépio, com elementos reais, mas toda uma concepção e recriação do trajecto e do contexto histórico-religioso que antecedeu a chegada do Messias.
O espaço envolvente e o próprio átrio da capela do Calvário, transformaram-se, por acção de cerca de 40 figurantes, numa "aldeia viva" nas proximidades do palácio do rei Herodes, esperando com ansiedade o nascimento do Salvador.
O acontecimento final (o presépio, local de nascimento) teve por cenário a anta em granito, trabalho do escultor António Redondo e que assinalou uma das Bienais da Pedra.
Quem se deslocou ao largo do Calvário não deu o seu tempo por mal empregue, apesar do ligeiro atraso com que se abriram as portas da "aldeia bíblica".
A iniciativa dos jovens do MTA é digna dos maiores elogios, ainda mais se pensarmos que é uma ideia que começou a ganhar forma há mais de um mês e que foi "construída" no tempo das férias escolares, com o recurso a muitas sessões de ensaios e muitas horas gastas na construção dos cenários e confecção das roupas.
O Natal de Alpalhão ganhou com o Presépio Vivo um novo motivo de interesse, um reviver de tradições ancestrais numa terra em que o tempo natalício teve sempre uma presença muito forte e simbólica.

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Alpalham no Dicionário Coreográfico (Séc. XVIII)


Assim é descrita a povoação e freguesia no Dicionário Coreográfico do Padre Luís Cardoso (Séc. XVIII)

quinta-feira, 31 de julho de 2008

POMBO COMEÇA A VOAR

Posto Galp com outro fôlego
Depois de algum tempo encerrado, o posto de combustíveis de Alpalhão passou à responsabilidade da Lubrinisa, de Rui Pombo. Desde a reabertura, nota-se, progressivamente, um serviço prestado aos alpalhoenses (e a quem passa) com superior qualidade relativamente ao que acontecia no passado.
Além dos combustíveis, o posto Galp tem ao dispor dos seus clientes jornais diários e semanários, generalistas e desportivos, revistas cor-de-rosa, de caça, touros, etc. Estão ainda à disposição dos interessados os principais títulos que se publicam na região.
Pode ainda tomar-se um bom cafézinho no próprio posto.
Para o sucesso desta nova fase do posto de combustíveis muito tem contribuído a disponibilidade, dinamismo e simpatia do seu principal responsável. Pombo tem, de resto, uma intervenção anterior na terra, ligada ao fornecimento de gás. A sua ligação a Alpalhão vem, aliás, já do tempo em que aqui jogava futebol.
É positiva a avaliação de negócio que o jovem empresário faz desta sua iniciativa passados tão poucos meses. Já fornece, diariamente, alguns milhares de litros de combustível, cativando muitos forasteiros a encher o depósito das suas viaturas em Alpalhão. As principais instituições e empresários locais, na generalidade, são clientes desta unidade da Galp. Os próprios bombeiros do concelho utilizam nas suas viaturas gasóleo aqui adquirido. Para contribuir para a sustentação destes serviços, bom seria que também a câmara municipal trouxesse uma parte das suas viaturas até aqui, distribuindo adequadamente pelos 3 postos existentes no concelho os mais de 100 000€ anualmente gastos em combustíveis. Para dar um primeiro gesto de simpatia elementar, podiam ser adquiridos diariamente no posto de Rui Pombo os jornais que ainda continuam a vir de fora para assegurar aos alpalhoenses a leitura pública.