sábado, 3 de setembro de 2016

Alpalhão, em festa, doou sangue





Em tempo quente de férias, em que não faltam festas nem romarias, teve lugar uma colheita de sangue, desta feita em Alpalhão, no Concelho de Nisa. Uma iniciativa da Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Portalegre – ADBSP - que envolveu 27 pessoas, 10 das quais mulheres. Sendo Alpalhão a terra natal do nosso saudoso fundador, António Joaquim Eustáquio, gostaríamos de ter visto mais gente na sede do Grupo Ciclo Alpalhoense. Mas quem veio merece toda a admiração.
Uma vez feitos os exames de saúde: alguns não puderam concretizar os seus objetivos. Ao todo foram reunidas 19 unidades de sangue.
Nas instalações do Grupo Ciclo Alpalhoense foi servido o almoço convívio, apoiado pela Junta de Freguesia de Alpalhão.
Colheita dos Motardes
Recordamos que, a 10 de Setembro, se assinala o 26.º Aniversário da ADBSP, de cujo programa consta: 11,00 h Missa na Capela do Hospital; Homenagem a António Joaquim Eustáquio no Cemitério de Portalegre; 12,30 h Sessão Solene e actuação do Grupo de Cante Alentejano “Os Lagóias” no NERPOR; Almoço Convívio.
No sábado 17 de Setembro está agendada a colheita em parceria com o Grupo Motard Novo Milénio,e que decorre no kartodromo de Portalegre. E a 01 de Outubro vamos estar no Quartel dos Bombeiros de Sousel.
www.facebook.com/groups/AdbsPortalegre - já visitou?

JR

ALPALHÃO - A última tourada no Largo

Porque a França há muito nos tinha sugado os homens das carroças, as carroças que resistiam eram já escassas para cerrar o redondel. Compôs-se o que faltava com reboques e uns enrêdos de paus entrelaçados, mais uns barrotes aqui, uns estrados ali e a plateia foi dada como afiançada, que a freguesia também não era muita. ( Longe ia o tempo do Palanque das Senhoras, das carrêtas apinhadas, de rapazes já espigadotes, suspeitamente, a espreitar pelas tranqueiras...)
Se o gozo das touradas à vara-larga está no imprevisto, esta foi das boas.
Logo da primeira vaca quem foi o agarrador? O mais elegante dos jogadores de bola da vila e ainda hoje um rafista de corridas de bicicleta - o Carlos Fatan; a outra, teve de se render a um rapagão que começava a mostrar a sua apetência para a arte: o Renato Moura. Depois, o esperado imprevisto : a paliçada entre a Casa do Povo e o Curral do Manecas tombou, atirando com um magote de medrosos para cima do bovino que, solidário, rebolou com eles. Quando baixou a poeira e confirmado que ninguém se aleijara, o povinho gargalhou. Só o ruminante, e porque não era açoreano, não riu. Com este entremêz, os agarradores indultaram o animal e respeitaram o que veio a seguir - o novilho.
A Filarmónica, numa festa que lhe era dedicada, sentiu-se no direito de mostrar que o seu valor vai muito para além de premiar, com paso-dobles, quites e pegas. Vai daí, escalou para enfrentar o quinto animal um dos musicantes. O felizardo foi o Felizardo que, obrigatoriamente, esteve feliz.
A última vaca que correu pelo touril, que fique para conhecimento dos vindouros, quem a dominou foi o Francisco Sequeira; dos Batatas, o Chico.
Antes que apareça alguém que desencante para aí um pequeno deus caseiro, vindo da universidade, do quartel, do seminário, e lhe pespegue a graça na parede do pátio da antiga escola das raparigas, porque não deixar oficializado na toponímia da vila aquele espaço como " Largo das Touradas"? Foi isso que ele foi e é assim que ele é conhecido pelos mais velhos. lugar de sustos, de valentias, de fanfarronices, de pequenas tragédias, onde se ganharam famas e se enriqueceu o anedotário, cuja existência deve persistir na memória de Alpalhão.
José Caldeira Martins
NOTA: Retirámos esta saborosíssima prosa, bem como o programa, da página pessoal do Dr. José Caldeira Martins (Zé Alguém), um amante das tradições alpalhoeiras (marvanenses, nisenses e de outros sítios) que teima em deixar registadas para conhecimento de actuais e vindouros.

sexta-feira, 1 de abril de 2016

46 Dadores de Sangue em Alpalhão






Na véspera da estação primaveril: a Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Portalegre – ADBSP – marcou presença em mais uma atividade solidária. Estivemos no Concelho de Nisa, mais precisamente em Alpalhão.
Um total de 46 pessoas (15 das quais mulheres), dirigiram-se à sede do Grupo Ciclo Alpalhoense. Uma vez realizados os testes médicos, verificou-se que 38 dos voluntários poderiam avançar para a dádiva.
Um elemento de cada sexo doou sangue pela primeira vez. Já o Registo Nacional de Dadores Voluntários de Células de Medula Óssea obteve mais um elemento.
O almoço convívio, apoiado pela Junta de Freguesia de Alpalhão, decorreu nas instalações do Grupo Ciclo Alpalhoense.
Em resumo, tratou-se de uma brigada digna de registo, ou não fora esta a terra do nosso saudoso Presidente António Eustáquio.
Em Abril
A ADBSP promove as seguintes colheitas durante o mês de Abril: No dia 02 na sede do Rancho Folclórico de Arronches; No sábado 09 nos Bombeiros de Sousel; No dia 16 nas instalações do Grupo Desportivo Cultural e Social de Vale de Cavalos (Portalegre). Refira-se que o nosso calendário de Abril foi alvo de alterações.
Compareça num destes sábados da parte da manhã.
www.facebook.com/groups/AdbsPortalegre é também onde nos pode encontrar.

JR

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

IN MEMORIAN: O Prof. Moura faleceu há 10 anos

Se ainda estivesse entre nós, o professor Moura completaria, amanhã, dia 19, setenta e dois anos de vida. Faleceu há 10 anos, a 11 de Janeiro de 2006, e aqui recordo a notícia que então escrevi no "Jornal de Nisa" de 18 de Janeiro, evocando o homem, o cidadão multifacetado, dinâmico, interveniente, dedicado à sua comunidade, à elevação dos padrões de qualidade de vida dos seus concidadãos e que nos deixou um raro exemplo de participação cívica e de trabalho em prol da dignificação do concelho.
Desportista, professor, cidadão íntegro
José Maria Pinheiro Moura, 61 anos, professor aposentado, faleceu na passada quarta-feira, dia 11 de Janeiro, na sua casa em Alpalhão.
A notícia da sua morte inesperada colheu toda a gente de surpresa e passou a ser o tema de todas as conversas entre pessoas de todas as idades que se interrogavam, incrédulas, com o falecimento de uma figura popular, não só de Nisa, sua terra natal, como em Alpalhão onde residia há 40 anos e um pouco por todo o distrito e região, onde a sua acção como professor, desportista, dirigente associativo e autarca era conhecida.

Não constituiu, por isso, um acontecimento inesperado, os milhares de pessoas que de todas as partes do país vieram até Nisa na manhã do dia seguinte, quinta-feira, despedir-se do amigo, do antigo professor, do treinador, do colega de equipa ou de profissão, numa impressionante manifestação de dor e despedida que ficou assinalada como das maiores que se fizeram na terra que o viu nascer.
Crianças, jovens, adultos e idosos, gente de todas as condições e profissões, integraram o extenso e compacto cortejo fúnebre que desde a Igreja da Misericórdia, numa imensa mole humana que inundou, como se fosse um mar de gente, as ruas Direita, Porta da Vila, da Fonte e da Fonte Nova até ao cemitério municipal, acompanhando os restos mortais de professor José Moura, numa derradeira, comovente e dolorosa despedida.

José Maria Pinheiro Moura partiu e deixa muita saudade.
Pelo seu carácter, pelo seu empenhamento, pelo seu dinamismo, pela sua postura de homem vertical e democrata.

Na simplicidade de um adeus, dir-lhe-ei apenas: repousa em paz!
Mário Mendes

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Alpalhão com quatro novos dadores de sangue



A terra do Presidente António Eustáquio foi palco de mais uma recolha da responsabilidade da Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Portalegre – ADBSP. A sede do Grupo Ciclo Alpalhoense foi o local onde esteve montado o staff. Compareceram 32 pessoas, uma dezena das quais do sexo feminino.
Só dois dos presentes não puderam colaborar como desejavam, por razões de saúde.
Doaram sangue pela primeira vez quatro voluntários, três dos quais homens. E houve ainda duas adesões ao Registo Nacional de Dadores Voluntários de Células de Medula Óssea.
No Grupo Ciclo Alpalhoense ocorreu o almoço convívio, apoiado pela Junta de Freguesia de Alpalhão.
Motards de Portalegre a 12 de Setembro
As colheitas da ADBSP acontecem aos sábados, de manhã. A 12 de Setembro está agendada a recolha em parceria com o Grupo Motard Novo Milénio de Portalegre (nas instalações do kartódromo de Portalegre). A 26 de Setembro será a vez de mais uma brigada, desta feita no quartel dos Bombeiros de Sousel.
Colabore, compareça e faça-se acompanhar de um amigo!

JR

quinta-feira, 19 de março de 2015

Grupo Ciclo Alpalhoense: 20 anos a pedalar pelo convívio e pela natureza














Centena e meia de populares juntaram-se no passado sábado, 28 de Fevereiro,em Alpalhão, para comemorarem o 20º aniversário do Grupo Ciclo Alpalhoense.
Uma festa que começou com um almoço convívio e se prolongou pela tarde fora com muita música e animação.
Há 20 anos e após uma iniciativa de BTT que juntou 86 participantes, nascia a 26/2/1995, o Grupo Ciclo Alpalhoense. Foram seus fundadores José Martins, Francisco Guedelha, Abel Maia, António Alves, António Mourato, António Bugalho, Rogério Godinho, António Paulino, Joaquim da Rosa, José Rosa, Xenofonte Martins e João Freire.
“A principal actividade que desenvolvemos é o cicloturismo, temos actualmente 18 praticantes inscritos na Federação Portuguesa de Cicloturismo”, explica-nos José Maria Gonçalves Martins, presidente da colectividade, cargo que exerce há cerca de duas décadas.
O Grupo Ciclo Alpalhoense promove também um convívio de pesca anual, passeios pedestres, os festejos de Santo António e outras iniciativas do agrado dos seus 130 associados. Dispõe de sede própria, as antigas instalações do matadouro, pertencentes à Junta de Freguesia e recuperadas pela Câmara, depois de 16 anos em instalações alugadas e que constituíam uma grande encargo.
José Martins considera “muito positivos” estes 20 anos de actividade do GCA, “só possíveis pela entreajuda de todos os elementos das várias direcções, que mantém, diariamente, a associação aberta”, deixando no entanto um apelo. “As instalações foram recuperadas mas as obras não estão ainda concluídas, pois falta melhorar o piso na sala principal e noutros compartimentos. Neste dia de festa, apelo para a Câmara Municipal, no sentido de nos apoiar, monetariamente ou em obras, para que possamos melhorar as instalações e torná-las mais dignas.”
Ao fim de 20 anos à frente do GCA, José Martins considera que chegou a hora de dar lugar aos mais novos, disponibilizando-se para colaborar com os futuros corpos sociais e deixando uma mensagem aos sócios e amigos da colectividade.
“Peço aos sócios e entidades, que se mantenham fiéis à associação e ao espírito cicloturista. À população que nos continue a apoiar e nos visite, as portas estão sempre abertas.”
Mário Mendes in "Alto Alentejo" - 11/3/2015

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Trabalhadores dos granitos de Alpalhão em greve pelo pagamento das renumerações.

Os trabalhadores da empresa Granitos de Maceira - Alpalhão iniciam às 8 horas de hoje, 4 de fevereiro, uma greve exigindo o pagamento de três meses de salário e de quinze subsídios de férias e de Natal que há oito anos não lhes são pagos.
A União dos Sindicatos do Norte Alentejano juntar-se-á ao Piquete de greve à porta da empresa.
Portalegre, 4 de fevereiro de 2015
A Comissão Executiva da USNA/cgtp

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Alpalhão tem novos dadores de sangue





No derradeiro sábado de Agosto teve lugar uma colheita da responsabilidade da Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Portalegre – ADBSP. Foi em Alpalhão, Concelho de Nisa. À sede do Grupo Ciclo Alpalhoense compareceram 41 pessoas, entre elas 15 mulheres. Depois de avaliados, em termos de saúde, os
voluntários: alguns não puderam colaborar nesta oportunidade. Mas sempre foram conseguidas 36 unidades de sangue.
Novos dadores foram cinco, dois do sexo feminino. Quanto ao Registo Nacional de Dadores Voluntários de Células de Medula Óssea passou a contar com mais quatro inscrições.
No local da colheita teve lugar o almoço convívio, comparticipado pela Junta de Freguesia de Alpalhão
Sendo este o torrão natal do Presidente da Associação António Eustáquio, é sempre com emoção que a ADBSP desenvolve iniciativas em Alpalhão. E nesta, pelo lado positivo, há a destacar a presença de logo cinco novos encorajadores dadores, com idades compreendidas entre os 30 e os 45 anos de idade.
Escuteiros e…
De referir que a 05 de Agosto a ADBSP colaborou numa iniciativa constante do XV Acampamento da Junta Regional dos Escuteiros de Portalegre - Castelo Branco e que decorreu na Serra de São Mamede. A dádiva de sangue mobilizou duas dúzias de escuteiros e 17 fizeram-no pela primeira vez. E o Registo Nacional de Dadores Voluntários de Células de Medula Óssea foi aumentado com mais uma dezena de Voluntários.
…Motards
No Sábado 13 de Setembro a ADBSP desenvolve a já habitual parceria com o Grupo Motard Novo Milénio de Portalegre. Vai ser no kartódromo de Portalegre, durante a manhã. Uma iniciativa aberta a todos os interessados em doar sangue! Venha daí!

JR

terça-feira, 24 de junho de 2014

Alpalhão e Tolosa na lista das escolas que o governo quer fechar

 COMUNICADO DA FENPROF
A Esperança em Portalegre é a primeira a morrer
O Ministério da Educação e da Ciência divulgou a lista de Escolas do 1ºCiclo do Ensino Básico que pretende encerrar este verão. No caso de Portalegre é de um interioricídio de que se trata, é do homicídio do interior do país.
A confirmar-se este cenário serão comunidades inteiras que ficarão privadas de mais um serviço público. É também o fim de vários postos de trabalho num interior já fustigado pelo desemprego. Em vários municípios significa o fim da única ou das últimas escolas em meio rural, ficando só a escola da sede do concelho. Nalgumas localidades é a escola que mantém os avós ativos, pois têm a tarefa de acompanhar os netos à escola e apoiar nas refeições ou em situação de doença repentina. Se a criança adoece tem familiares por perto e não está entregue a estranhos a quilómetros de distância. Com o encerramento das escolas os idosos ficam desocupados e deixam de se sentir úteis.
A par do encerramento de Centros de Saúde, de Postos Médicos, de Postos dos Correios, de Postos da Guarda Nacional Republicana, de serviços de Finanças, de Tribunais, de Juntas de Freguesias, das Estações e Apeadeiros de Caminhos-de-ferro e de inúmeras empresas é a vez de fecharem mais 12 escolas no distrito.
O Ministro mente
Quando o Ministro da Educação diz que fazem isso pelas crianças, que as crianças vão ficar melhor, pois em vez de ficarem em turmas mistas, de vários anos em cada sala, as crianças iriam ficar em turmas homogéneas, com um só ano por sala, sabe que não é verdade: basta ver que em escolas grandes, como na EB1 do Atalaião ou na EB 1 dos Assentos, em Portalegre, há várias turmas mistas impostas pelo Ministério às escolas, de que os pais e os professores só souberam no primeiro dia de aulas.
Os alunos e os pais irão ficar pior servidos, pois para além de as crianças terem de ser transportadas a vários quilómetros, em muitas localidades os pais não têm transportes públicos para irem reunir e falar com os professores. As comunidades sem escola ficam desfavorecidas.
Algumas das escolas a fechar têm mais de 21 alunos
O «número mágico» para fechar escolas já foi de 10 alunos, agora dizem que é de 21. Mas cada escola é um caso, e há escolas que eventualmente com menos alunos tenham de ser manter abertas e outras escolas com mais alunos, mas com alternativas tenham de fechar.
As comunidades, os pais, os professores, as freguesias e as autarquias têm de ter uma palavra a dizer e não podem ser confrontadas com uma imposição sem diálogo.
Escolas com as de Tolosa ou Alpalhão, com mais de 21 alunos, que nem faziam parte da lista inicial de escolas a fechar, confrontam-se com a possibilidade de fechar portas.
Lista de escolas que o MEC o pretende fechar em Portalegre:
O SPZS/FENPROF não baixa os braços
O Sindicato dos Professores da Zona Sul, membro da Federação Nacional dos Professores, tem andado em contactos por todo o distrito com Associações de Pais, Autarquias, Professores e com as Comunidades para que não se baixem os braços.
O SPZS continua empenhado em colaborar para a resolução destes problemas e está disponível para participar em todas as formas de luta que se entendam necessárias. Nesse sentido está disponível para participar em manifestações em Évora, frente à DGEST, tal como já foi declarado por várias entidades.
A Direção Distrital do SPZS/FENPROF
Portalegre, 23 de Junho de 2014

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Restaurante "Regata" certificado pela Entidade Regional de Turismo do Alentejo


A Regata - "Restaurante Alentejano recheado de Sabores", tem a partir de ontem, dia 29, responsabilidades acrescidas, pois conseguiu a Certificação de Conformidade Referencial da Restauração Alentejana - Alentejo Bom Gosto.
João Junceiro, proprietário do restaurante Regata, exprimiu, deste modo o seu contentamento pela conquista do galardão.
"Muito obrigado a toda a equipa que tornou isto possível em especial ao Dr. Ceia da Silva e aproveito para fazer das suas palavras, as minhas palavras.
"Valorizar o receituário e os produtos do Alentejo, garantir a qualidade do serviço dos restaurantes, prestar informação de excelência aos turistas sobre a gastronomia e produtos endógenos, e consolidar o produto turístico gastronomia e vinhos são os objectivos principais do projecto.
Neste contexto, os 21 restaurantes já certificados na Região – 10 numa primeira fase e 11 agora – cumprem um referencial que, previamente definido, apresenta vários parâmetros qualitativos que variam entre a confecção de receitas genuinamente alentejanas ou a utilização de ingredientes exclusivamente produzidos na nossa região
Factores como a decoração, o ambiente ou o serviço, assim como a apresentação de uma ementa constituída, maioritariamente, por pratos tipicamente alentejanos ou uma carta de vinhos, entre outros, são igualmente decisivos no processo de certificação
Consciente de que a certificação e o selo de qualidade são decisivos na afirmação e diferenciação de um destino, a Entidade Regional de Turismo considera a certificação dos restaurantes e o projecto onde esta se insere – designado por “Alentejo Bom Gosto” – uma garantia de qualidade e uma importante alavanca promocional para os agentes do sector."
O restaurante Regata de Alpalhão junta a excelência da qualidade de serviço e da satisfação dos clientes ao Bom Gosto Alentejano, expresso na diversidade e sabor da sua gastronomia, um referencial do concelho e da região transtagana.

Parabéns à Regata!

sábado, 29 de março de 2014

Colheita de sangue audaciosa em Alpalhão






António Eustáquio mostrou-se bastante satisfeito com a mobilização conquistada em Alpalhão. A colheita decorreu rodeada de signos audaciosos e, ainda para mais, numa terra que não é sede de Concelho. Mas Alpalhão, neste tipo de eventos, é um exemplo a seguir, pelo que o Presidente da Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Portalegre – ADBSP – agradece a todos os que tornaram possível os êxitos alcançados. E até compareceram estreantes a doar sangue.
A brigada realizou-se a 22 de Março na sede do Grupo Ciclo Alpalhoense. Compareceram 45 pessoas, 16 das quais do sexo feminino.
Os potenciais dadores foram avaliados em termos médicos e cinco não levaram avante a sua vontade (foram assim recolhidas 40 unidades).
Em termos de baptismos a doar sangue foram obtidos três, todos de mulheres. Já o Registo Português de Dadores de Medula Óssea passou a contar com mais um voluntario.
Num restaurante local foi servido o almoço, apoiado pela Junta de Freguesia de Alpalhão. Um momento alto, ainda para mais que um dador e incentivador da dádiva de sangue desta freguesia era aniversariante. Como tal foi compartilhado um bolo alusivo à ocasião.
Colheita em Arronches no próximo sábado
Estão programadas proximamente colheitas da ADBSP: A 05 de Abril no edifício do Rancho Folclórico de Arronches; A 12 de Abril na sede do Grupo Desportivo Cultural e Social de Vale de Cavalos (Alegrete).
As brigadas são aos sábados de manhã e queremos que cada dádiva seja um exemplo!

JR

sábado, 28 de dezembro de 2013

Património do Concelho: O Cruzeiro de Alpalhão

Conhecido também como Cruzeiro do Calvário
Acesso: Lugar da Devesa de Cima, EN. 118, 246,18. à entrada de Alpalhão no cruzamento da Estrada de Gáfete com a Estrada de Nisa
Protecção: IIP, Dec. nº 129/77, DR 226 de 29 Setembro 1977
Enquadramento: Urbano, isolado em terreno junto à Capela do Calvário
Descrição do Monumento: Soco de 3 degraus de planta quadrangular. Coluna oitavada sobrepujada por uma cruz chanfrada tendo esculpida numa das faces a figura de Cristo e na outra, oposta, São João Evangelista ajoelhado amparando Nossa Senhora desfalecida.
Utilização Inicial: Cultual: cruzeiro
Utilização Actual: Marco religioso-cultural
Propriedade: Pública: estatal
Época Construção: Séc. 16
Cronologia
1512 - A vila de Alpalhão teve foral por D. Manuel; Séc. 16, meados - erecção do cruzeiro (KEIL, 1940) ; a Capela do Calvário é obra de finais do século; 1953 - obras de reconstrução pela Junta de Freguesia, tendo sido demolido o bloco de granito no qual assentava; posterior suspensão dos trabalhos pela DGEMN e reconstrução da base; 1957, c. de - retomadas as obras de reconstrução conferindo-lhe o aspecto actual.
Tipologia: Arquitectura religiosa, quinhentista. Cruzeiro sobre soco de planta quadrada, com coluna oitavada figurando num dos lados Cristo na Cruz e no lado oposto as figuras de São João Evangelista amparando a Nossa Senhora desfalecida.
Características Particulares: A figuração de Nossa Senhora desfalecida sustida por São João Evangelista, ajoelhado e trajando á moda quinhentista. Materiais: Granito
KEIL, Luís, Inventário Artístico de Portugal. Distrito de Portalegre, vol. I, Lisboa, 1940.

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

AUTÁRQUICAS 2013 -Resultados e composição dos órgãos de Freguesia


Realizaram-se no passado dia 29 de Setembro as eleições autárquicas, com a nova configuração resultante da chamada "Reorganização Administrativa" e que no concelho de Nisa agregou as freguesias de Arez e Amieira do Tejo e também as do Espírito Santo, Nossa Senhora da Graça e S. Simão.
Na eleição da Assembleia de Freguesia de Alpalhão verificaram-se os seguintes resultados:

Após a instalação dos órgãos desta União de Freguesias, a composição dos mesmos ficou como segue:
Junta de Freguesia
Presidente: Ana Cecília Carrilho Manteiga - PCP/PEV - CDU
Secretário: Catarina Isabel Carrilho Couto - PCP/PEV - CDU
Tesoureiro: Mário Duarte Guedelha - PSD/CDS
Assembleia de Freguesia
Presidente: Ana Andreia Bugalho Maia - PCP/PEV - CDU
1º Secretário: Lúcio Joaquim Valente Caldeira - PSD/CDS
2º Secretário: Lúcia Maria Poupino - PSD/CDS
VOGAIS
António Correia Rovisco - PS
Maria Alcina de Jesus Costa Silva Batista - PSD/CDS
José João Lopes Cotrim - PS
José Manuel Correia Rosa - PCP/PEV - CDU
João Martins Ribeiro Fortunato - PCP/PEV - CDU
Carlos Joaquim Soares – PCP/PEV - CDU